Entrevista com a Minerva Náutica – A equipe de nautimodelismo da UFRJ.

Quando surgiu a equipe e como?

A ideia da equipe surgiu com a participação do fundador e ex-capitão, Arthur Pereira, em uma competição de nautimodelismo chamada International Robotic Sailing Regatta (IRSR), durante seu intercâmbio no Canadá. Com o intuito de difundir essa ideia e trazer uma aplicação prática aos conteúdos abordados nas salas de aula, alunos da Universidade Federal do Rio de Janeiro fundaram a equipe Minerva Náutica, em 2014.

O que a equipe faz?

A Minerva Náutica é uma equipe da UFRJ de competição universitária dedicada ao projeto e à construção de nautimodelos.

Em quais setores a equipe se divide e o que faz cada um desses setores?

A equipe se divide atualmente em: Naval, Mecânica, Eletrônica e Gestão (que engloba o Marketing, Logística e Financeiro).

Em Gestão, a área do financeiro é onde nós gerimos a contabilidade da equipe e administramos os projetos a serem desenvolvidos. A parte de logística é responsável pelo transporte, hospedagem e toda programação da equipe nos campeonatos. O Marketing é onde buscamos patrocínio e a divulgação da equipe na faculdade e em mídias sociais.

No setor Naval, desenvolvemos os projetos das embarcações e seu sistema propulsivo, estudando a melhor escolha para o modelo de casco.

O setor da eletrônica é a responsável pela automatização dos barcos. É nele que é estudado o sistema de governo, possibilitando o controle por radiofrequência dos atuadores mecânicos: motores, hélices e leme. Sensores no interior do barco também permitem o monitoramento remoto em tempo real de dados como umidade e carga de bateria, detectando possíveis falhas. Com o simulador, projetado e realizado pela equipe, podemos simular as provas do Desafio Universitário de Nautidesign (DUNA), como Força e Corrida.

O setor de mecânica é responsável por toda parte técnica e construção do sistema propulsivo dos nossos barcos, além de projetar a caixa de redução.,

Quais competições participam?

A competição que a equipe participa anualmente é o Desafio Universitário de Nautidesign (DUNA) e participamos em 2017 da Sailbot.

A equipe teve sua primeira participação em competições no Desafio Universitário de Nautidesign 2014 (DUNA 2014). Para a construção do nosso primeiro modelo, firmamos parceria com o Instituto Politécnico de Cabo Frio, utilizando o espaço da escola para conduzir nossas atividades. Em troca, nosso time preparou aulas para os alunos do curso de Construção Naval do instituto, passando um pouco do universo de engenharia para eles.

Em 2015, tivemos nossa segunda participação no Desafio Universitário de Nautidesign (DUNA 2015), agora competindo com duas embarcações, que foram construídas com apoio do Pólo Náutico da UFRJ. Nessa edição obtivemos a 6a e 11a posições, competindo com 21 equipes de diversas universidades.

No ano de 2016 contamos com todo o suporte e infraestrutura do LabOceano para nos preparar para o DUNA 2016. Chegando ao fim do campeonato conquistamos o 1° e 2° lugar geral da competição, dando à equipe o título de Campeã e vice-campeã do Desafio de Nautidesign.

Em 2017, a Equipe participou pela primeira vez da IRSR (International Robotic Sailing Regatta), na Academia Naval dos Estados Unidos em Annapolis, Maryland. A competição envolve o projeto e a construção de um veleiro de até 4m de comprimento, que tenha um sistema de navegação autônoma. A Equipe Minerva Náutica foi a primeira equipe sul-americana a participar da IRSR e disputou com outras 10 equipes, vindas principalmente dos EUA, do Canadá e do Reino Unido.  Dessa competição, voltamos com o 5° lugar geral, conquistando o 1º lugar nas provas Presentation e Payload.

Em 2018 participamos novamente do DUNA, desta vez, porém, obtivemos um resultado de 15º lugar com o nosso rebocador Legado e 23º lugar com a Moana.

Em 2019, levamos dois barcos completamente novos, projetados e construídos neste mesmo ano, e ficamos colocados em 14º e 17º lugar geral, entre 25 equipes.

Quais são os próximos objetivos da equipe?

Um de nossos objetivos e conseguir mais patrocínios, visando tanto empresas maiores como parcerias para materiais. Participaremos do DUNA 2019 com um dos barcos projetado e construído em 2018, porém buscando sua melhoria e eficiência máxima. Para isso, iremos treinar e capacitar os novos membros para obtenção de um resultado aproximado do perfeito. Vamos dar início também ao projeto para competição internacional, para isso é necessário apoio financeiro, por isso a importância do patrocínio.

O que uma pessoa que acaba de entrar na equipe irá encontrar?

Além de muito trabalho, muito aprendizado. Apesar de ser uma atividade extracurricular, levamos a sério a equipe e buscamos dar o nosso melhor para obter o melhor resultado. Iremos realizar neste período muitas capacitações, inclusive com ex-membros, para que possamos evoluir sempre.

Um novo membro deve entrar na equipe buscando capacitação pessoal e profissional, e aprimorar o trabalho em equipe, ou até mesmo sob pressão (como acontece nas competições), e é isso que temos a oferecer.

Como funciona o processo seletivo da equipe? Quais são as etapas?

O Processo Seletivo se inicia com um formulário para que possamos conhecer melhor cada candidato e seu perfil. Após essa fase, teremos dinâmicas para serem feitas em grupos e testes que devem ser feitos em casa. Apesar de todos trabalharem em conjunto na equipe, a divisão de setor é para que vejamos a capacidade da pessoa na área escolhida. Caso ocorra de um candidato ser eliminado em certo setor escolhido, mas acharmos que ele se encaixaria melhor em outro, noticiamos.

O que se espera do candidato ao processo seletivo?

Como abrimos poucas vagas para cada setor, selecionaremos os melhores e mais adequados candidatos para a situação atual da equipe. Analisaremos nossas necessidades em paralelo com o perfil do futuro candidato e escolhemos os que mais se encaixam. Não é necessário altíssimo conhecimento, porém, a demonstração de que sente vontade de estar na equipe e de desenvolver/ aprender coisas novas.

Esperamos também que o candidato não veja a equipe apenas como um hobby, e se dedique somente em seu tempo livre. Isso será portanto, analisado também.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.